Pryscilink
Arquivos

 

 

 

7.3.12

 
Deveria estar ganhando flores porque é Dia Internacional da Mulher, mas não tenho folga psicológica. Sinto prévio remorso se curtir um feriado não instituído e não falar sobre a mais divertida primeira-dama brasileira e pioneira na arte do cartum no país: Nair de Teffé!
Filha do Barão de Teffé, Nair freqüentou a Académie Julian de arte (Paris), cujos cursos eram dez vezes mais caros para mulheres.... Era belíssima. E "como se não bastasse" possuía predicados pessoais inesgotáveis: cantava, tocava vários instrumentos, escrevia peças de teatro, encenava e caricaturava a sociedade "como homem", quase ao mesmo tempo em que Toulouse Lautrec fazia o mesmo com as noites boêmias de Montmartre.
A poderosa, que deixa Carla Bruni no chinelo, casou-se com Marechal Hermes da Fonseca e tornou-se primeira dama do país aos 27 anos. Tocava peças (lascivas para a época) de Chiquinha Gonzaga no Palácio do Catete para chocar os conservadores. À frente deles ninguém menos do que Ruy Barbosa, que não poupava críticas à primeira dama. Resultado: foi caricaturado e virou motivo de chacota. Em outra ocasião, ela entrou numa reunião ministerial trajando um vestido cuja roda da saia ostentava caricaturas de todos os ministros de Estado.
Rian (anagrama de seu nome) ilustrou belíssimas charges para as principais publicações brasileiras e francesas da época.
Teve uma terceira idade de dificuldade financeira, apesar de ter sido herdeira de uma fortuna do crepúsculo imperial. Dizem que gostava de jogos de azar e assim perdeu a herança. Mas foi amparada pelos seus três filhos adotivos.
Nossa primeira grande dama do humor faleceu no exato dia de seu aniversário, aos 95 anos.

Comments:
Boa mini-bio!
Para a época deve ter sido uma grande mulher!
:D
 
Postar um comentário

Links desta introdução:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?