Pryscilink
Arquivos

 

 

 

19.2.08

 
Se um dia meu estúdio fosse arrebatado da existência terrestre por ordem divina, sentiria muito pelo boneco do Shrek (ele arrota!) que ganhei no Mac Lanche Feliz e também pelo original "Rapaz de colete vermelho" do Cézanne, que fica penduradinho no hall de entrada. Mas o que me deixaria eternamente triste seria o fato de perder os originais dos meus ilustres amigos cartunistas que tenho colecionado ao longo de décadas. Desenhos feitos com nanquim, vodka, ecoline e não raramente, caneta Bic mesmo. Deliciem-se com alguns dos meus originalíssimos originais postados logo abaixo.


Este original foi feito pelo Angeli numa mesa de boteco do Salão Universitário de Humor de Piracicaba de 1999. Desde então descobri, via Rê Bordosa, que vida de cartunista é tão duuuuuura...
Original do Orlando – El Pedroso. O Cara. O ídolo. O Tudo. Ele nem deve lembrar que fez este desenho, nem quando, nem como. Mesmo porque ele não assinou e talvez alguém questione a originalidade. Mas o importante é que eu tenho e você não tem.
Abaixo, um original premeditado. O Marco Jacobsen fez este cartum em homenagem à Amely. Reparem na tatoo no glúteo do mocinho: um coração flechado com o nome Amely. Foi publicado no seu livro "Confesso". Ai que orgulho!!!! Ah, aquele original do Ziraldo. Todo mundo já sabe da história.
Se não souber clique nuns posts anteriores e saiba dos detalhes sóóóóóórdidos.

Aqui tenho um original do russo/israelense/paranaense Yuri Ochakovsky que esteve no Brasil para papar mais um dos vários prêmios de humor gráfico que ganha pelo planeta. O Yuri trabalha como guardião de um ferro velho no leste europeu. Uma cidade que parece a Bratzlavia do filme O Albergue. Lá, o Yuri finge que cuida do ferro velho, mas fica é no Google o dia inteiro maquinando idéias para massacrar os concorrentes cartunistas do mundo todo. Bem, ele fez este cartunzin para mim, mesmo sem conseguirmos trocar uma só palavra. Isto prova que o cartum é uma linguagem universal.
Um original do Chico Caruso, que vai ficar muito puto quando encontrar isso aqui. Coordenei a Bienal de Humor do Mercosul há alguns anos. O Chico generosamente enviou alguns originais para que fizessem parte da exposição. Bem, eis que eu não os devolvi para ele até hoje. Coisa feia! Má menina! Mas na próxima oportunidade, juro... Juro, Chico! Vou tentar lembrar de devolvê-los... Este é um cartum do Solda. Diz ele que este é seu último desenho colorido à mão, com ecoline (que dá um barato quando você mistura o azul da prússia com o amarelo ovo). Depois desse desenho ele começou a dedicar-se à colorização computadorizada. Soldinha também diz para que eu cuide bem deste original, senão ele arranca meus globos oculares com aspirador de pó industrial.pryvieira@yahoo.com.br

Comments:
Como você é desprendida do seu nome. Se errassem a grafia do meu, mesmo que fosse a alma encarnada do Henfil, eu jamais teria coragem de mostrar. :D E céus, você tem um original do Chico desde 1994?! É isso mesmo que eu entendi? Eta menina-prodígio!
No dia em que eu entender mais de canetas (óticas ou de tinta) do que simplesmente pegar uma Unipen e rabiscar em P&B, te dou um alô pra aprender alguma coisa de finalização de cartum. Beijo!
 
Essa moça, meu caro, não revela em sua tenra idade as aventuras que lhe consolidam a sapiência de uma matrona.
 
sou velhinha.
pinto o cabelo, faço plásticas, uso creme anti-rugas até nas mãos...
naisci há dez mil anos atrás. o problema é que custo a aprender certos básicos da vida.
bjs
 
Postar um comentário

Links desta introdução:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?